Poder Judiciário de Rondoniense incentiva adoção tardia no Estado

adocao-tardEm alusão ao dia 25 de maio, que se comemora o Dia Nacional da Adoção, o Tribunal de Justiça do Estado de Rondoniense realiza campanha de comunicação e relacionamento com a comunidade como incentivo à adoção tardia, com o tema “Deixe-se adotar…”. O lançamento da mobilização ocorreu na última sexta-feira, 23 de maio, no auditório do TJRO, em Porto velho Capital do estado de Rondônia.

Após a exibição de vídeo institucional sobre a vida das crianças e adolescentes nos abrigos da capital, foi apresentada a série de ações desenvolvidas pelo Poder Judiciário, por meio do Juizado da Infância e Juventude, com apoio da Coordenadoria de Comunicação Social. O objetivo é estimular a adoção de crianças maiores de três anos e derrubar o preconceito de que não é possível construir laços afetivos e familiares com crianças maiores e até adolescentes.

Histórias reais

cartaz

As peças da campanha reúnem outdoor, cartaz, folders, adesivos, vídeos, além de um vídeo institucional elaborado  para o  curso de preparação para adoção abordando o tema “Como é viver no abrigo e a adoção tardia”. Os casais que participaram dos vídeos e das fotos têm histórias reais de vitória sobre o preconceito, com adoções de crianças maiores de três anos.

Adoção tardia

É o termo utilizado para designar a adoção de crianças com mais de três anos. Este termo refere-se à  criança que já consegue se perceber diferenciada do outro e do mundo, ou seja, já desenvolveu autonomia parcial: não usa fraldas, come alimentos sólidos, fala, anda e não é mais considerada um bebê.

Abertura

Na sexta-feira, durante o lançamento da campanha, no TJRO, o presidente em exercício do Tribunal, desembargador Alexandre Miguel, destacou a importância do tema e apresentou dados que evidenciam a distância, desproporcional, entre aqueles que querem adotar (mais de 30 mil) e os que precisam de uma nova família (cerca de 5,5 mil crianças). A diferença é resultado da vontade da maioria dos pretendentes à adoção, que idealizam adotar recém-nascidos. Além do presidente em exercício, o desembargador Daniel Ribeiro Lagos, corregedor-geral, o juiz da Infância e Juventude da capital, Fabiano Pegoraro, o promotor de Justiça Marcos Tessila, e a assistente social Rita Picanço, compuseram a mesa de honra, que lançou à sociedade a campanha de incentivo à adoção tardia.

Fonte: TJRO

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*